arcos de bolonha
Foto: Denis Renó.

Os arcos de Bolonha nos perseguem em qualquer lugar da cidade italiana. Todas as calçadas do centro histórico possuem arcos que protegem as calçadas e, consequentemente, os pedestres. No verão, o sol para de queimar, deixando o passeio mais fresco. No inverno, é a neve que deixa de incomodar quem resolve caminhar de um lado a outro.

Mas os arcos de Bolonha são acompanhados por outra característica: a cor da cidade. Por culpa dos tijolos usados e de uma estética milenar, Bolonha é uma cidade avermelhada, característica que chama a atenção dos visitantes. Além disso, 21 remanescentes torres acompanham os arcos de Bolonha no cenário turístico da cidade, com destaque para a torre Asinelli. Por que remanescentes? Porque na idade Média, a cidade chegou a ter 100 torres construídas, representando riqueza.

arcos de bolonha
Foto: Denis Renó.

A cidade vermelha conta com várias torres no cenário.

Esse post apresenta a bela cidade, que tem os arcos de Bolonha como um de seus diferenciais arquitetônicos. Alguns deles possuem detalhes artísticos. Outros são acompanhados de uma simplicidade que também conquista. Independente do estilo de cada um dos dos arcos de Bolonha, todos oferecem conforto aos visitantes.

Arcos de Bolonha, por toda parte

Os arcos de Bolonha estão em todas as marquises, em todos os prédios. Além de ampliar o espaço das construções, que correm sobre as calçadas, os arcos protegem os pedestres. Podemos caminhar por toda a cidade histórica debaixo dos arcos, saindo deles apenas para atravessar as ruas.

arcos de bolonha
Foto: Denis Renó.

Longos trechos de arcos acompanham o cenário de Bolonha.

Alguns dos arcos de Bolonha trazem em sua arquitetura os séculos que marcam a época de construção. Feitos de tijolos avermelhados, os arcos são altos, com vãos que permitem a ventilação. A cidade é um complexo de arcos vermelhos.

arcos de bolonha
Foto: Denis Renó.

Alguns dos arcos de Bolonha são bastante antigos.

As igrejas também são vermelhas

Entre os arcos de Bolonha, encontramos uma infinidade de igrejas, várias delas de tijolos aparentes, deixando-as também avermelhadas. Essa característica traz à cidade uma arquitetura bastante diferente de outras cidades europeias. São construções grandiosas, mas simples ao mesmo tempo, como a Basílica de São Petrônio.

arcos de bolonha
Foto: Denis Renó.

A Basílica de São Petrônio é assim: simples e grandiosa.

Apesar de não contar com os arcos de Bolonha em sua arquitetura, a Basílica de São Petrônio é um marco da cidade. Construída entre 1390 e 1663 em estilo Gótico Italiano, a Basílica é a 15ª maior da Europa, com capacidade para abrigar 28 mil pessoas. Graças ao afresco de Giovanni de Modena, que representa Maomé no inferno, a Basílica foi alvo de tentativa de ataques terroristas, todos frustrados, em duas ocasiões: 2002 e 2006.

Arcos fora do centro histórico

Até mesmo em edifícios mais modernos encontramos os arcos de Bolonha. Um dos exemplos é o Mercury Hotel, que está situado próximo à estação de trem da cidade. Além disso, o prédio é avermelhado, seguindo as tradições estéticas de Bolonha para abrigar o elegante hotel.

arcos de bolonha
Foto: Denis Renó.

O Mercury Hotel leva em sua arquitetura os arcos e a cor avermelhada.

Os arcos de Bolonha são, sem dúvida alguma, característicos na cidade. Mas uma coisa posso garantir: com ou sem arcos, visitar Bolonha é uma excelente decisão. Impossível passar pelo norte da Itália e dispensar uma visita na cidade que sedia a mais antiga universidade da Europa, datada de 1088. Não dispense a possibilidade de conhecer a cidade de bicicleta.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here