Aveiro

Aveiro é um lugar especial. Situada entre o mar e a ría (como os portugueses denominam o canal que corta a cidade), a cidade possui peculiaridades. A primeira delas é a arquitetura, histórica nas regiões próximas ao final da ría, e moderna no restante da cidade.

Reconhecida como cidade em 1759 por D. José I, o local foi criado no final do Século XVI para facilitar a conexão entre o rio e o mar, naquela região. Com isso, valorizou-se a ría, que serviu de conexão entre os dois nados da região. Circulam, desde então, os moliceiros, barcos originalmente usados para o transporte do moliço ao mar. Muito parecidos com as gôndolas venezianas, hoje, os moliceiros percorrem a ría com turistas. Por isso, Aveiro é conhecida como a Veneza portuguesa.

Aveiro, da ría

A ría é um marco da cidade. Próximo ao local, situam-se as construções mais antigas de Aveiro. Com ruas estreitas e iluminações de época, o passeio no centro é um regresso à riqueza de séculos passados, quando o moliço movimentava toda a região.

Aveiro
Foto: Denis Renó.

Com charme, a ría corta a cidade de Aveiro.

A região da ría foi toda revitalizada, com modernos ambientes, além de um pequeno shopping a céu aberto. Trata-se de um excelente lugar para passar o fim da tarde tomando um café e observando o movimento. O entardecer no local é diferenciado. Logo ao anoitecer, a cidade ganha novo encanto com as luzes dos casarões do centro antigo.

Aveiro
Foto: Denis Renó.

As luzes dos casarões dão um ar bucólico ao centro histórico.

Os moliceiros de Aveiro

Os moliceiros são barcos que lembram as gôndolas venezianas, ainda que maiores. A diferença de tamanho é justificada por ser um barco anteriormente de carga, com mais espaço. Afinal, os moliceiros iam carregados de moliço para o porto de Aveiro. Também eram carregados sacos de sal produzido na região.

Coloridos, os moliceiros de hoje se dedicam exclusivamente ao turismo e ao transporte de pessoas. Alguns carregam passageiros da cidade. São enfeitados com pinturas e adereços bem portugueses, tradicionais naquela região.

Aveiro
Foto: Denis Renó.

Os moliceiros carregam traços culturais da região.

Aveiro, do mar

Diferente da calma ría, o mar de Aveiro é agitado, sendo perigoso para banho em alguns lugares. A água tem uma temperatura baixa, se comparada ao sul de Portugal. Afinal, a cidade está localizada no norte do país, quase na curva do litoral da Galícia. Mas as paisagens são muito bonitas naquele litoral.

Aveiro
Foto: Denis Renó.

O mar é frio e agitado, mas oferece imagens inesquecíveis.

Próximo à cidade, diversos vilarejos, cada um com a sua característica. Um destaque é o vilarejo de Costa Nova, originalmente habitada por pescadores e atualmente considerado importante centro de turismo veraneio. Composto por casas coloridas, cada um de uma cor e estilo, é cercado pelo mar, de um lado, e por uma lagoa salgada, de outro. Apesar de serem casas de madeira, a ideia de cores para identificar o morador remete à brasileira Mariana, onde os casarões também são identificados pelas cores.

Aveiros
Foto: Denis Renó.

Ir à Costa Nova resulta em uma visita inesquecível.

Também destaque desses vilarejos é a Barra. No local, chama a atenção a Praia do Paredão, onde fica o Farol da Barra. O lugar é bem protegido pelo paredão, o que acalma as águas do mar. Por outro lado, é onde desemboca a ría de Aveiro, que deixa o mar com cara de rio em alguns momentos.

Foto: Denis Renó.

O paredão construído na praia realmente acalma o mar.

Aveiro intelectual

A cidade também é sede da Universidade de Aveiro, importante centro de conhecimento de Portugal. Diferente de outras instituições, a Universidade de Aveiro é jovem e com uma vocação tecnológica e de inovação. Isso acontece nas áreas de engenharia e se repete nos campos das ciências sociais e humanas. Por isso, é reconhecida como centro de inovação, recebendo estudantes de diversos países. Os brasileiros representam 25% do corpo discente.

Aveiro
Foto: Denis Renó.

A Universidade de Aveiro é importante na construção do conhecimento.

Ir a Aveiro, de trem ou carro, é um passeio imprescindível a quem está no Porto. Mas também pode significar destino exclusivo, especialmente no verão. A cidade oferece momentos bucólicos à beira mar em um Portugal desconhecido para muitos, algo interessante para todo viajante.

1 COMMENT

  1. […] Pedro Cândido é um típico cidadão português. Pacato, explode quando as coisas saem do eixo, mesmo que alguns míseros graus. Afinal de contas, é complicado para ele, acostumado com as coisas certinhas e claras, conviver com desajustes provocados por pessoas descompromissadas (ou tranquilamente saudáveis, dependendo da maneira de se ver tal traço de personalidade). Nascido na cidade de Vila do Conde, localizada no distrito do Porto, Pedro Cândido, é reflexo de sua terra natal. Nascera em Vairão, uma das freguesias da cidade, também denominada concelho pelos portugueses, tem aproximadamente 1.200 habitantes. A velocidade da cidade segue inversamente proporcional à relação próxima de seus moradores. A mais longa viagem de Candinho do Porto tenha sido, provavelmente, Aveiro. […]

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here