Os que chegam à pequenina Covilhã podem imaginar que está em uma cidade sem nada a oferecer. Claro, é uma cidade muito pequena entre montanhas e perto de outras cidades do mesmo tamanho ou mesmo maior, como Fundão,  muito perto da entrada para a cidade. Mas Covilhã oferece muito mais que um pequeno espaço geográfico no interior de Portugal: oferece conhecimento e entretenimento.

Tranquila, Covilhã é um convite ao descanso, ao pé de uma das serras mais bonitas do país: a Serra da Estrela. Apesar disso, a pequena Covilhã é movimentada, com uma universidade que a impulsiona ao progresso. O turismo também garante à cidade, especialmente no inverno.

Covilhã
Foto: Denis Renó.

As ruas são tranquilas, como toda a cidade.

Centro de conhecimento

Sede da Universidade da Beira Interior – UBI, uma das mais importantes universidades portuguesas, Covilhã reúne em seu espaço acadêmico carreiras de Medicina, Engenharia e Comunicação, entre outros campos do conhecimento. Nessas carreiras, encontramos referências internacionais ministrando aulas nas classes da universidade, que possui uma gestão de financiamento internacional muito interessante, até de preocupar-se com a internacionalização nos programas, reconhecendo, por exemplo, avaliações internacionais de estudantes, como o ENEM (Brasil) para o ingresso na instituição. Seguramente, os programas de Comunicação são as mais destacadas na UBI, com importantes referencias internacionais entre os docentes.

Covilhã
Foto: Denis Renó.

Na UBI encontramos conhecimento diferenciado.

A Covilhã histórica

A cidade oferece mais que a universidade. Entre a tranquilidade urbana e a cultura presente, encontramos muita história. Localizada em uma região entre Lisboa e Porto, possui cinco freguesias, como são denominados os povoados portugueses (os distritos brasileiros), que ao todo somam 36 mil habitantes, aproximadamente. No passado, a força econômica de Covilhã foi a indústria textil, especificamente na produção de lã. Mas a cidade tem registros do período romano, com a construção de muralhas em 1186, depois de transformada em bairro medieval das Portas do Sol. Também é terra do Infante D. Henrique, que se transformou no “Senhor de Covilhã“. Até hoje, a cidade oferece construções históricas, aproveitadas para outras atividades, como a própria UBI, quase totalmente alojada em edifícios antigos.

Covilhã
Foto: Denis Renó.

A antiga tecelagem tem seus prédios preservados.

Comércio local

Alguns sabores são fundamentais em Covilhã, entre eles o Bacalhau, preparado de diversas maneiras e sabores. Aqui é possível passar uma semana experimentando bacalhau todos os dias sem repetir a receita. Outro sabor especial é o queijo “Serra da Estrela”, o mais antigo de Portugal. Cremoso e com sabor forte, o queijo é perfeito para comer com um pão de Covilhã e um bom vinho português. Mas também é delicioso puro, somente apreciando o sabor do queijo Real português. Também há uma rica produção de frutas na região, entre elas a cereja. O cultivo da fruta é tão expressivo nas redondezas que fundão, cidade vizinha de Covilhã, realiza todos os anos a tradicional Festa da Cereja, onde é possível consumir a fruta de todas as maneiras. Tudo isso pode ser comprado no comércio local.

Covilhã
Foto: Denis Renó.

O comércio da cidade é movimentado e diversificado.

Aos que querem caminhar sobre a neve, Covilhã é um excelente passeio. A Serra da Estrela tem neve em todo o inverno, além de uma paisagem inesquecível. Mas é fundamental comprar um calçado especial para suportar o frio da montanha. Nas lojas da cidade encontramos calçados de todos os tipos. Dos mais caros e sofisticados aos produtos chineses, igualmente bons para a temperatura, mas muito mais baratos. Escolha com tranquilidade o calçado ideal e suba a montanha para olhar Portugal como merece ser observado: desde cima.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here