Labirintos
Foto: Denis Renó.

Labirintos de solidão é uma fotorreportagem sobre a cultura mexicana, a partir das ideias de Octavio Paz. Mas quem são os mexicanos? Descendem dos Astecas? São hispânicos? Essa mistura pode ser encontrada em todos os cantos da cidade e a resposta parece simples. Entretanto, os mexicanos são muito mais complexos do que isso.

Labirintos da cultura pré-colombiana

Uma das origens do povo mexicano está na civilização Asteca, que eram subdivididos em vários outros povos. A Cidade do México foi dominada por vários séculos pelos Mexicas, até a chegada dos espanhóis. Entretanto, há várias riquezas dos Astecas pela região, como se fosse tudo um museu de antropologia ao ar livre.  Próximo dali, estão as imperdíveis pirâmides de Teotihuacán, a cidade abandonada.

Labirintos coloniais

A cultura espanhola também está presente em diversas cidades. Podemos ver os traços dessa cultura na arquitetura, nas roupas e até mesmo em parte da gastronomia.

Porém, uma cidade que resgata a Espanha do século XV é Morelia. É uma viagem num tempo em que ferozes invasores ocupavam a região, levando riquezas para a “patria madre“.

Morelia é uma bela cidade colonial que resgata uma Nova Espanha de quatro séculos atrás. Em seus portais, viajamos a diversas cidades da península Ibérica. Em seus costumes, uma mistura de Chiuhuahua com Sevilha.

Labirintos espirituais

Mas o mistério do México está em seu povo. Historicamente conhecido por sua alegria, o mexicano possui, na verdade, uma relação direta com a tristeza. Segundo o escritor Octavio Paz, “o povo mexicano é triste, escondido em uma falsa alegria”. A origem dessa tristeza está na chegada dos invasores espanhóis, quando os valores dos mexicas foram destruídos. Octavio Paz descreve a sua própria cultura em Labirintos de Solidão, uma bela obra literária com suportes históricos.

Segundo Paz, a mulher era o pilar da cultura, e a maior vergonha para uma mulher mexica era ser violentada sem lutar até a morte. Quando Cortéz captura Malinche e passa a viver com ela, o pilar da cultura dos mexicas é destruída, pois representava a falta de resistência.

Ao mesmo tempo, os mexicas sofrem com uma colheita mal suscedida, que representava o abandono da Deusa Terra. Finalmente, surge, aos olhos de um indígena, a imagem de Nossa Senhora de Guadalupe O local é denominado, hoje, como a Praça das Três Culturas.

Cultura mexicana em labirintos

Dessas três culturas, nasce o mexicano, que renega seu passado Asteca e a mistura espanhola. Um povo que mescla tradições espirituais de seus ancestrais com a crença do catolicismo, traços que constroem a sua personalidade. No dia do grito, 16 de setembro, os mexicanos gritam “y que viva Mexico, hijos de chingada“.

Mas, apesar dessa tristeza, o México é um país que esconde uma alegria nos labirintos de solidão descritos por Octavio Paz. Essa fotorreportagem representa, em imagens, os labirintos, as alegrias e as tristezas do povo mexicano. Clique aqui e descubra os labirintos mexicanos.ui e descubra.

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here