Conhecer a cidade de Paraty, no extremo sul do Estado do Rio de Janeiro (Brasil), é conhecer um pouco da história do país. Na realidade, significa conhecer a história mais rica do país, no tempo em que o ouro brasileiro era enviado a Portugal pelo porto daquela cidade. Dali saía o ouro “Para Ti, Portugal”, levando um pouco da história do Brasil colônia. Mas muito desse passado ainda está vivo nas ruas de pedra tombadas pelo patrimônio histórico brasileiro.

A cidade é um museu ao céu aberto, onde podemos ver construções do Brasil colonial, com traços arquitetônicos visivelmente trazidos de um Portugal do Século XVII e uma crença que separava homens e mulheres em  igrejas diferentes, além de uma igreja exclusiva para escravos e índios catequizados. Construída de frente ao mar, Paraty tem suas ruas proibidas para os carros. Por elas, somente bicicletas, cavalos e os pés dos visitantes podem passar.

Encantos de Paraty

Ainda que o mar da cidade não seja a melhor opção turística, a região oferece uma rica costa com praias capazes de deixar qualquer turista impressionado a poucos quilômetros da cidade. A água é um pouco fria para os padrões do nordeste brasileiro, mas agradável aos que gostam da fauna marinha como visual. Também são oferecidos diversos passeios marítimos guiados a ilhas da região e expedições de mergulho a navios naufragados a poucos quilômetros da costa.

Outra opção de Paraty é a visita em terra. Na região, podemos conhecer aldeias indígenas, quilombos e uma bela fauna e flora predominante de Mata Atlântica. Nas aldeias, é possível comprar artesanatos a preços bastante convidativos. Não é difícil deparar-se com o tradicional Bicho Preguiça “caminhando” pela região, seja na estrada, seja na cidade. Mas a natureza está por toda a cidade, entre as casas e sobre as pedras da arquitetura local.

Paraty
Foto: Denis Renó.

A natureza toma conta do cenário de Paraty.

Com uma crescente oferta da cultura contemporânea e cosmopolita, Paraty é sede da importante Feira Literária Internacional FLIP, que ocorre todos os anos geralmente entre os meses de julho e agosto. A cada ano, importantes escritores nacionais e internacionais visitam Paraty, entre eles Aleksandar Hemon, Luis Fernando Veríssimo e Gay Talese. É um passeio que, sem dúvida, vale a pena aos fanáticos das letras e dos sonhos.

Como chegar

Um dos caminhos a Paraty, ainda que a cidade faça parte do Estado do Rio de Janeiro, é por São Paulo. De lá, pode-se subir em um ônibus ou alugar um carro e seguir pela estrada até a cidade. Não é permitido entrar no centro histórico de carro, mas há diversos estacionamentos ao redor da zona proibida. O passeio é inesquecível, com vistas maravilhosas ao oceano Atlântico, especialmente no litoral norte do Estado de São Paulo. Já desde o Rio de Janeiro, o que mais impressiona, além de belas vistas do mar, é o encontro com as usinas nucleares de Angra dos Reis. A grandiosidade das construções provoca sensações que vão do espanto ao medo ao mesmo tempo. Vale a pena o passeio.

Finalmente, é fundamental experimentar as comidas típicas da região em alguns dos restaurantes da cidade. Também há excelentes opções de cafés e restaurantes com música ao vivo, desde o jazz e o blues até a bossa nova. Sem dúvida, caminhar pelas ruas de Paraty é colecionar momentos inesquecíveis.

Passeios em Paraty:

São muitos os passeios que podem ser feitos em Paraty, e a melhor opção é perguntar aos profissionais que trabalham nos restaurantes. Porém, algumas coisas são prioritárias.

Centro histórico 

O centro histórico, que lembra o da “vizinha” Ilhabela, merece algumas horas de reflexão e admiração, ou mesmo um dia inteiro. Além disso, deve ser o “porto seguro” dos turistas, pois oferece toda a estrutura necessária aos que chegam à cidade. Ao lado dos restaurantes, pode-se comprar artesanatos ou obras de artistas de profissionais que escolheram Paraty como um espaço para o renascimento de seus processos criativos. Além disso, há igrejas especiais para se conhecer, com obras bonitas e arquiteturas coloniais de um Brasil secular.

Paraty
Foto: Denis Renó.

Igrejas, arquitetura e história. Isso é o centro histórico de Paraty.

O mar, quando sobe a maré

O centro da cidade está muto perto do mar, e quando sobe a maré as águas invadem as ruas. Há gente que organiza passeios de barco pelas ruas para aproveitar a oportunidade de fazer o percurso por um caminho diferente. Sem dúvida, é uma graça da natureza aos que descobrem o recanto histórico de Paraty. Cuidado com a água, pois algumas vezes, dependendo da roupa que se usa, passear por essas ruas é demasiado úmido. Não se esqueça que está na praia, e a água faz parte do cenário.

Paraty
Foto: Denis Renó.

Quando a maré baixa, as cores da cidade ficam sob a água.

Praias por escuna

As praias da costa são diversas, uma mais bonita que a outra. O único problema é que o acesso é feito de carro até chegar à opção do dia. Porém, com tantas opções existentes naquele litoral é recomendável consultar os “caiçaras” sobre as melhores praias a visitar. Há opções para crianças, praias badaladas, praias de surf, mergulho, ou mesmo para descansar. Aproveite.

 

Gastronomia

Os restaurantes de Paraty podem oferecer desde um simples pescado com batatas fritas até a alta gastronomia. Cada prato tem seu preço, todos mais salgados do que o normal, e em alguns casos o apimentado começa na própria publicidade do produto. Escolha o restaurante pelo lugar, olhe bem na limpeza e prepare o estômago.

Paraty
Foto: Denis Renó.

Um cardápio bem elaborado e, em alguns momentos, apimentado, rodeia a cidade.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here