revisitando saraguro
Foto: Denis Renó.

Revisitando Saraguro é uma fotorreportagem produzida na pequena comunidade de Saraguro, localizada no sul do Equador, próximo à cidade de Loja. O lugar reúne habitantes descendentes dos Incas, que preservam diversos costumes de seus ancestrais.

Sem dúvida, Revisitando Saraguro significa retorno ao local onde Salgado começou sua primeira obra. Ainda que contando com pouquíssimo tempo (seis horas), conseguimos produzir uma reportagem bastante interessante e que serve de convite aos amantes de história e cultura pré-colombiana.

Revisitando Saraguro, 40 anos depois

Em 1977, há quarenta anos, Sebastião Salgado iniciou a produção de seu primeiro livro de fotografia, Outras AméricasNa obra, Salgado retrata, entre outros povos indígenas latino-americanos, os Saraguro, do Equador, uma comunidade que fica na província de Loja, próxima à fronteira com o Peru, nos Andes.

As fotos feitas por Salgado à época registram momentos de expressão dos Saraguro e revelam uma sensibilidade misturada com humanismo e humildade do fotógrafo, características marcantes já nos primeiros anos de sua carreira. Sebastião Salgado viveu meses na comunidade Saraguro para aproximar-se de sua cultura.

A sensibilidade de Sebastião Salgado foi responsável pela construção dessa importante obra. E conseguiu tudo graças à aproximação do fotógrafo com o povo Saraguro durante os dois meses que esteve por lá.

Revisitando Saraguro, pelas mulheres

Em Revisitando Saraguro, descobrimos que as mulheres Saraguro são vaidosas, com cabelos compridos e trançados, roupas brancas e negras com detalhes coloridos. Os rostos levam marcas do tempo, do frio, do trabalho, pois são em sua maioria trabalhadores rurais de subsistência. Trazem uma beleza inconfundível.

revisitando saraguro
Foto: Denis Renó.

As mulheres Saraguro carregam traços marcantes da cultura.

Mas o que ficou claro em Revisitando Saraguro é o conceito de família desse povo. As mulheres dedicam seu tempo a cuidar dos filhos a qualquer custo, enquanto os homens trabalham na agricultura. Andam sempre juntos, como se protegessem uns aos outros.

A fotografia não rouba a alma

Durante a Inti Raymi, a Festa ao Sol, fomos a Saraguro para revisitar esse povo, com um desafio: a partir do olhar imagético de Sebastião Salgado, fotografar a comunidade. Apresentamos, nesta reportagem, um novo olhar sobre o povo Saraguro, revelando em preto e branco a feminilidade dessa histórica comunidade.

Porém, registrar essa beleza não foi fácil. Os Saraguro não gostam de ser fotografados, pois acreditam que a fotografia rouba seu espírito. Por essa razão, as 47 fotografias de Revisitando Saraguro foram registradas com uma lente 55-200. Assim, conseguiu-se o máximo de aproximação ótica sem ofender os Saraguro. Visite a obra, clicando aqui ou na figura abaixo.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here