Quem pode imaginar que a capital do Chile, pertinho dos Andes, pode oferecer noites alegres e provocar calor? Não é de se esperar isso, mas Santiago oferece, sim, um calor noturno a quem visita a cidade. Nem o frio do inverno Andino pode acabar com a festa dos que vão pra lá, especialmente em alguns bairros, como a zona do Parque Florestal, no centro da cidade, onde há bares, cafés e muita gente pelas ruas.

Santiago é especial. Situada a 520 metros do nível do mar, a cidade está em um vale entre a montanha que a separa de Valparaiso ao oeste e a Cordilheira dos Andes ao leste, possível de ver de qualquer ponto da cidade. Pelo frio do ar e o congestionamento de veículos, Santiago é considerada a segunda cidade mais contaminada da América do Sul, perdendo somente para Bogotá. Entretanto, Santiago oferece outras opções para um ar melhor: o verde.

A sociedade é machista e conservadora. O Chile é um dos países que ainda não reconhece a união homoafetiva. As mulheres chilenas enfrentam uma diferença salarial ainda maior que a de outros países em desenvolvimento e a desigualdade social é expressa em diversos setores da sociedade, como na educação (ou a escola é caríssima, ou de qualidade mediana – e todas são pagas, mesmo as públicas). Apesar do jeito “gringo” de ser, deixando projetos de bem estar social de lado, Santiago é um destino sensacional.

O que fazer em Santiago

Comer é uma excelente opção de diversão na cidade, ainda que a comida seja muito cara. Não se pode comer uma boa comida por um valor justo, como em Madri. As opções são diversas – Santiago possui uma gastronomia cosmopolita -, mas é preciso pagar, e bem, por isso. Um bom ceviche não sai por menos de R$ 60,00 (para uma pessoa). Uma cerveja, igualmente cara, sai por aproximadamente R$ 12,00 em um bom restaurante. De fato, há opções deliciosas tanto de ceviches como de cervejas. Uma que deve ser experimentada é a Kross, artesanal e feita com uma preparação gourmet.

Mas não é só comida que justifica uma viagem a Santiago. Comprar eletrônicos é uma opção interessante para o viajante com pouco dinheiro. Os preços são muito mais baratos que o Brasil (quase igual aos preços de Miami ou de outras cidades de compras), além dos preços baixos de roupas, como na super rede de lojas Falabella. Os que seguem com malas vazias, é a oportunidade de preenche-las nas lojas e shoppings, conhecidos no Chile como Hall.

Segurança, acima de tudo

O maior diferencial de Santiago é a segurança urbana. A cidade, fundada em 1541, possui passeios interessantes, como o Palacio de la Moneda, situada no centro. Bem próximo, encontramos o Palacio de Bellas Artes, em frente a um delicioso parque que nos fins de semana (especialmente aos domingos) fica lotado de famílias fazendo piquenique e se divertindo. Outro passeio fundamental é o Mercado Municipal, que oferece pratos típicos chilenos e de seu vizinho Peru, além de adereços e artesanatos da região. Estes passeios são fundamentais para quem esperar conhecer uma Santiago de pertinho.

De volta à diversão, além das festas noturnas na região do Parque Florestal e do badalado (e enorme) bairro de Providencia, há um passeio na neve andina. No local, é possível esquiar na neve que embranqueia a montanha em boa parte do ano. Para ir à neve, pode-se comprar passeios turísticos específicos no centro da cidade ou em qualquer balcão de hotel, e no local pode-se alugar os equipamentos de neve (roupas, esquis, etc). Outro passeio interessante é Valparaiso, distante uma hora de Santiago e situada em frente ao Pacífico. Pode-se ir em um ônibus bastante econômico que sai da frente do Palácio de Bellas Artes e disfrutar de uma bela cidade cosmopolita com um visual inesquecível. O melhor mesmo é quando neva forte nos Andes, um gigante branco quase dentro da cidade.

 

Santiago
Foto: Denis Renó.

Em Santiago, olhar o horizonte significa encontrar os Andes.

Para sair da cidade ou chegar nela é muito simples. O trajeto pode ser feito em um ônibus urbano que sai do Mercado Central conectado ao metrô, excelente na cidade. Outra maneira é ir de taxi, que oferece segurança a um preço justo. Mas esteja atento à hora, pois o trânsito dessa bela cidade pode trazer surpresas.

Passeios em Santiago do Chile

A cidade é cheia de coisas para fazer, mas alguns passeios são necessários para aproveitar os dias em Santiago. Tudo pode ser feito caminhando ou por metrô, o que é melhor, exceto os passeios fora da cidade, como Valparaíso ou as estações de esqui, nos Andes.

Palacio de Bellas Artes

Para os apaixonados por arte, esse é um passeio fundamental. O edifício é muito bonito e oferece coleções de arte importantes para a cultura do país, além de exemplares de artistas internacionais. O palácio está localizado ao lado do Parque Florestal, onde é possível passear sobre o rio Mapocho, que sobe na época das chuvas, e quase desaparece em tempos de seca ou no inverno. Aos domingos, pela manhã, a região fica repleta de famílias, além de artistas urbanos e muita diversão. Sem dúvida, um bonito passeio.

Santiago
Foto: Denis Renó.

A região do Palácio de Bellas Artes é um excelente lugar para caminhar a qualquer hora.

Restaurantes do bairro Bellavista

Com certeza, Providência é a região com os melhores restaurantes da cidade, ainda que caros. Há opções de tudo, desde a cozinha tradicional chilena ao ceviche peruano. Mas também encontram-se pizzas, parrilladas argentinas e tacos mexicanos. Aos saudosistas, há restaurantes brasileiros, mas recomendo deixar essas alternativas de lado – apenas em casos de urgência. Também há boas cervejas e, para os que têm medo de experimentar, lojas fast food de todas as redes estão pelas ruas da cidade. Não deixe de experimentar a cerveja Kross em qualquer dos bons restaurantes da cidade.

Santiago
Foto: Denis Renó.

O rio Mapocho, que passa pela região, oferece bonitos fins de dia.

Palacio de la Moneda 

Diferente do Brasil, a sede do governo chileno e o Congresso Nacional estão situados em cidades diferentes. Enquanto os congressistas estão em Valparaíso, a presidência fica em Santiago. O Palacio de la Moneda, localizado no centro, é a sede da Presidência do Chil. O local foi bombardeado no Golpe do Estado de 1973, culminando a derrocada do então presidente Salvador Allende. Recuperado depois do bombardeio, o local é um bonito passeio a fazer. Próximo dali, está o “café com pernas”, onde senhoras de meia idade com saias servem cafés a velhos saudosistas. Na região estão as melhores casas de câmbio da cidade, com os preços mais convidativos e confiáveis.

Santiago
Foto: Denis Renó.

O Palacio de la Moneda é grandioso e cheio de histórias.

Costanera Center

O Costanera center é o melhor shopping para compras, não somente pela qualidade das lojas, mas também pelos preços. Além disso, oferece uma praça de alimentação excelente, com diversas opções internacionais, como o colombiano Crepes & Waffes e a rede norte-americana Hard Rock Café. Pode-se chegar por metrô até a uma quadra do local, economizando em transporte.

Pueblito Los Dominicos

O local possui diversas lojas e um pequeno museu onde no passado foi a sede da Ordem Dominicana. Agora, comidas típicas e artesanato estão à espera dos visitantes, com bom preço e qualidade. Também é possível conhecer a Paróquia de San Vicente Ferrer, declarada como Monumento Nacional. O melhor de tudo: chega-se de metrô até a porta do local.

Santiago
Foto: Denis Renó.

O Pueblito Los Dominicos é um passeio bem agradável.

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here