trem
Foto: Denis Renó.

Trem é algo que lamentavelmente desapareceu em diversos países. A malha ferroviária perdeu espaço para as estradas, que exigem mais manutenção. Além disso, com o uso das estradas, fabricantes de pneus vendem mais os seus produtos, assim como as montadoras. Porém, o viajante perdeu a oportunidade de viajar em um método seguro e confortável: o trem.

Na Europa, a malha ferroviária está mais do que viva. Ela está constantemente revitalizada. Os trens rápidos circulam em diversas cidades, com espaçosas poltronas. Em diversas ocasiões, uma viagem de trem é muito melhor, além de mais barata, que um voo, mesmo que seja low cost (baixo custo). Porém, nem todos sabem disso, e buscam o avião como transporte.

trem
Foto: Denis Renó.

Belos trens rápidos estão por toda a Europa ocidental.

Esse post tem como objetivo apresentar cinco dicas importantes para se aproveitar o trem como transporte na Europa. Certamente, com essas possibilidades, o seu passeio pelos países europeus (inclusive entre países) será muito melhor.

Trem noturno: a dica 1

Quando se faz um mochilão, ou mesmo uma viagem entre uma cidade e outra, escolher um horário noturno pode ser uma boa opção. Mas isso depende da distância. Se for um trem rápido, talvez não compense. Entretanto, se o trajeto é longo, de até seis horas, viajar a noite vale a pena.

A viagem noturna tem como vantagem a economia. Se você é jovem, ou tem pouco dinheiro para gastar, pode “dormir” no trem, economizando uma noite de hospedagem enquanto viaja. Mas é importante lembrar que o conforto do trem, por melhor que seja, não é igual a uma cama, mesmo em quartos compartilhados. Ainda assim, pode ser uma economia.

Dica 2: Trem rápido

Viajar em um trem que percorre o trajeto acima dos 300 quilômetros por hora é impressionante. Uma viagem entre Madri e Barcelona, por exemplo, demora uma hora e meia de avião, e três horas de trem. Se considerarmos o tempo de espera em aeroporto, sai quase o mesmo tempo de viagem.

trem
Foto: Denis Renó.

A viagem entre Roma e Bolonha passa por algumas cidades, e demora menos de 3 horas.

Esse tipo de viagem oferece entretenimento durante todo o trajeto. É limitado, mas al menos uns filmes são exibidos. Também oferece espaço entre poltronas e uma mesa para trabalhar. Em alguns trajetos, até wi-fi grátis você tem.

trem
Foto: Denis Renó.

O trem AVE entre Madri e Barcelona é bem confortável.

A dica 3 é usar trens regionais

Em alguns países, como a Itália, viajar em trens regionais é uma boa opção para conhecer cidades com poucas atrações. Comprando um bilhete regional, você pode descer em uma estação e subir no próximo trem (ou no outro). Em Piza, por exemplo, a única coisa a se ver é a torre. Se você correr, consegue subir na torre, tirar fotos e ainda seguir no próximo horário de viagem.

trem
Foto: Denis Renó.

A malha ferroviária regional de Bolonha, na Itália, é bem diversificada.

Porém, trens regionais na Itália são péssimos em termos de conforto. Significa frio no inverno e calor no verão. Além disso, demoram mais e as poltronas também não são grande coisa. Ainda assim, é uma opção interessante para passear mais gastando menos.

Dica 4: trem em trajetos curtos

Viajar de trem em trajetos curtos é algo que deve ser considerado. Alugar um carro para ir a Toledo de carro, por exemplo, é desnecessário. De ônibus, pior. O conforto desse tipo de transporte na Europa não se compara com os ônibus brasileiros. Por isso, vá de trem, e chegue em menos de 30 minutos à bela cidade espanhola.

trem
Foto: Denis Renó.

O trem para Toledo é confortável, moderno e, acima de tudo, barato.

Também vale a pena percorrer trechos curtos entre cidades portuguesas. O trem que conecta Porto a Aveiro, por exemplo, é bem econômico. Entretanto, o conforto não se compara ao de Toledo, nem o tempo. Funciona como se fosse um metrô de superfície. Mesmo assim, vale mais a pena que as outras opções.

Aproveitar as estações é a quinta dica

As estações europeias são maravilhosas. Ir à estação Atocha, no centro de Madri, é um passeio turístico. Com um belo e enorme jardim de inverno, Atocha possui lojas, restaurantes e permite uma confortável viagem ao tempo. Além disso, por lá passa uma linha de metrô.

Outro belo exemplo é a Estação São Bento, na cidade do Porto. Além de ser uma bela construção por fora, oferece dentro um maravilhoso painel de azulejos portugueses retratando a história do país. Da estação, é possível encontrar trem para diversas cidades, além de um metrô ao lado. E fica no centro da cidade.

trem
Foto: Denis Renó.

O painel de azulejos portugueses da estação São Bento é bem interessante.

Para comprar passagens de trem, sugiro que tente garantir a sua antecipadamente, especialmente em viagens longas. Elas podem ser compradas pela internet. Na Espanha, compre pelo site da Rede ferroviária Espanhola. Na Itália, há duas opções: Trenitalia e Ítalo. Consulte as duas e escolha a melhor opção. Na França, busque bilhetes de TGV. Há, ainda, a opção de comprar o Rail Europe, que te garante várias paradas em um período de viagem previamente definido.

trem
Foto: Denis Renó.

Há grande diversidade de horários nas estações européias.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here